Quem somos

Gica (1).png

Gisele Nussbaumer (Gica) é professora da Faculdade de Comunicação/Facom da Universidade Federal da Bahia/UFBA e do Programa de Pós-graduação Multidisciplinar em Cultura e Sociedade da UFBA. Membro do Centro de Estudos Multidicisciplinares em Cultura/CULT. Dedica-se a estudos na área de políticas culturaisgestão cultural e públicos da cultura. Mestre em Ciências da Comunicação pela Universidade de São Paulo/USP e doutora em Comunicação e Cultura Contemporâneas pela UFBA. Foi diretora da Fundação Cultural do Estado da Bahia entre 2007 e 2010.

  • png-clipart-university-of-campinas-scien
  • Instagram

Giuliana Kauark é professora do Centro de Cultura, Linguagens e Tecnologias Aplicadas/CECULT da Universidade Federal do Recôncavo Baiano/UFRB e do Programa de Pós-graduação Multidisciplinar em Cultura e Sociedade da UFBA. Pesquisadora do Observatório da Diversidade (ODC), do Centro de Estudos Multidiciplinares em Cultura(CULT) e membro da Rede Internacional U40 for Cultural Diversity. Dedica-se a estudos nas áreas de políticas culturaisgestão cultural e diversidade cultural. Mestra e Doutora em Cultura e Sociedade pela UFBA. Foi assessora de projetos da Fundação Cultural do Estado da Bahia entre 2007 e 2009 e diretora de espaços culturais da Secretaria de Cultura do Estado da Bahia entre 2010 e 2014. Entre 2017 e 2018 realizou consultoria para a Secretaria de Cultura do Distrito Federal sobre o Marco Regulatório das Organizações da Sociedade Civil (MROSC).

  • png-clipart-university-of-campinas-scien
  • Instagram
equipe gestão 2 (1).png

Ana Carolina Rosário é graduada em Produção Cultural pela Faculdade de Comunicação/Facom da Universidade Federal da Bahia/UFBA. É mestranda pelo Programa Multidisciplinar de Pós-graduação Cultura e Sociedade/PosCultura da UFBA. Atua nas áreas de produção e gestão da cultura, com inserção em instituições e espaços culturais. Foi gestora do Teatro Gamboa Nova entre 2013 a 2019. Atualmente, dedica-se a pesquisa sobre políticas de fomento e financiamento à cultura, tendo como objeto de estudo o edital de Ações Continuadas de Instituições Culturais da Secretaria de Cultura do Estado da Bahia. É co-fundadora da Denda Coletiva, coletiva autogestionada por seis produtoras culturais de Salvador-Bahia, desenvolvendo iniciativas comprometidas com a equidade étnico-racial e de gênero na área da cultura e das artes.

  • png-clipart-university-of-campinas-scien
  • Instagram
carol almeida (1).png

Carol Almeida é graduada em Desenho Industrial pela Fundação Armando Alvares Penteado e mestre em Cultura e Sociedade pelo Programa Multidisciplinar de Pós-graduação Cultura e Sociedade/PosCultura da Universidade Federal da Bahia/UFBA. Desde 2013 integra o quadro de servidores da Secretaria de Cultura do Estado da Bahia/Secult e atualmente ocupa o cargo de Direção de Fomento, da Superintendência de Promoção Cultural. Atuou como coordenadora de projetos e relações institucionais do Museu de Arte Moderna da Bahia até 2015. Tem experiência em produção e gestão cultural, no setor público e privado, nos segmentos de artes visuais, audiovisual, música e teatro. É representante da Secult nas Comissões Gerenciadoras do Fundo de Cultura e do Fazcultura, e da Comissão de Monitoramento e Avaliação do Programa de Apoio à Ações Continuadas de Instituições Culturais.

  • png-clipart-university-of-campinas-scien
  • Instagram
CAROL DANTAS (2).png

Carol Dantas é graduada em Comunicação Social com hab. em Publicidade e Propaganda pela Universidade Católica de Salvador/ Ucsal, especialista em Produção Cultural e Mídias pela Universidade Jorge Amado/Unijorge e em Gestão Cultural pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial /SENAC. É mestranda pelo Programa Multidisciplinar de Pós-graduação Cultura e Sociedade/PosCultura da Universidade Federal da Bahia/UFBA , tem se dedicado à pesquisa sobre o mercado editorial baiano, onde também atua profissionalmente, desde 2011, como gestora e coordenadora editorial da Pinaúna Editora. Foi assessora de comunicação do Complexo Cultural Cidade do Saber (Camaçari-BA) e produtora executiva na Coordenação de Eventos da Prefeitura de Camaçari e no Café Cancun Salvador, entre outros espaços e projetos culturais. Suas áreas de interesse para pesquisa são a economia criativa e a gestão cultural, especialmente a gestão pública de cultura, sendo integrante também do Observatório de Economia Criativa da Bahia (OBEC).

  • png-clipart-university-of-campinas-scien
  • Instagram
CAROL DUMAS  (3).png

Caroline Dumas tem graduação em Direito com experiência em pesquisa e extensão sobre direitos humanos. Também fez graduação em Letras Vernáculas, mas ainda não concluiu. É mestranda pelo Programa Multidisciplinar de Pós-graduação Cultura e Sociedade/PosCultura da Universidade Federal da Bahia/UFBA e desenvolve pesquisa com interesse em direitos culturaispolíticas culturais e diversidade cultural.

  • png-clipart-university-of-campinas-scien
  • Instagram
CARLOS  (5).png

Carlos Vilas Boas é graduado em Comunicação Social com hab. em Relações Públicas e Marketing pela Universidade Católica de Salvador/ Ucsal. É mestrando pelo Programa Multidisciplinar de Pós-graduação Cultura e Sociedade/PosCultura da Universidade Federal da Bahia/UFBA. Na área cultural, atua como professor de música, tendo lecionado no conservatório Conservatório de Música Shubert e na Opus 35, além de dar aulas particulares e promover oficinas. Há cerca de 15 anos desenvolve trabalhos na cena musical independente de Salvador, com destaque para a banda A Flauta Vértebra, que integrou como músico, compositor e arranjador. Nesse período também produziu trabalhos de outros artistas e eventos como o Sarau D'A Flauta e o Festival Todos Por Um. Seus temas de interesse são gestão e políticas públicas de cultura, música independente e produção cultural.

  • png-clipart-university-of-campinas-scien
  • Instagram
ISABELA (1).png

Isabela Silveira é atriz, produtora, ativista da cultura. Tem nas infâncias seu principal objeto de estudo desde 2015. É doutoranda  pelo Programa Multidisciplinar de Pós-graduação Cultura e Sociedade/PosCultura da Universidade Federal da Bahia/UFBA, com pesquisa voltada para gestão e políticas culturais destinadas a crianças de 00 a 12 anos. É mestra em teatro pelo Programa de Pos-graduação em Artes Cênicas/ PPGAC e bacharel em interpretação teatral, ambos pela  Escola de Teatro da UFBA. É ainda especialista em Políticas e Gestão Cultural pelo Centro de Cultura, Linguagens e Tecnologias Aplicadas/CECULT da Universidade Federal do Recôncavo Baiano/UFRB e em Educação Infantil pelo Serviço Social do Comércio/SESC de Santo Amaro-SP. Fora da academia, integrou o Núcleo VAGAPARA e outros coletivos artísticos de Salvador, foi conselheira de cultura de Salvador de 2017-2019, coordenou o Espaço Xisto Bahia e trabalho na Fundação Cultural do Estado da Bahia/FUNCEB. Além disso, é mãe-solo de uma menina, a pequena Tereza.

  • png-clipart-university-of-campinas-scien
  • Instagram
LIVIA (1).png

Lívia Cunha é graduada em comunicação com ênfase em Produção Cultural pela Faculdade de Comunicação/Facom da Universidade Federal da Bahia/UFBA, especialista em Gestão e Produção Cultural com ênfase em Economia Criativa pela Fundação Getúlio Vargas/FGV e mestra em Cultura e Sociedade Programa Multidisciplinar de Pós-graduação Cultura e Sociedade/PosCultura da UFBA. Após experiência na Secretaria de Cultura do Estado da Bahia/Secultba e na Fundação Cultural do Estado/FUNCEB, em 2011, tornou-se sócia-diretora da Baluart, produtora responsável pela elaboração e produção de projetos como o Festival Salvador Mapping, lançamento do disco “Sinfonias de Pagode” da Sambone – Pagode Orquestra, entre outros. Em parceria com outras produtoras, desenvolveu o Festival Rumpilezz – música e pensamento e o Instrumentes – Música para (re)invenção,  proposta que envolve patrimônio e arte sonora.

  • png-clipart-university-of-campinas-scien
  • Instagram
Cópia de Roberto Junior  (1).png

Maia Gonçalves é fotógrafa há quase 10 anos e é graduanda do Bacharelado Interdisciplinar em Cultura, Linguagens e Tecnologias Aplicadas pela UFRB. Compreende a necessidade da ação através da política e gestão cultural como impulsionadores de mudanças na estruturação do contexto sociocultural em que vivemos. Enquanto membro da liderança no GP Cultura afro-brasileira, diversidades, gênero e sexualidades, coordenado pela Profa. Jamile Fonseca (UFRB), Maia entende a importância dessas transversalidades dos corpos, corpas, espaços e subjetividades enquanto geradoras de potências na luta por equidades nas políticas e gestões culturais.

  • png-clipart-university-of-campinas-scien
  • Instagram
Cópia de equipe gestão 2 (1).png

Nathalia Leal é graduada em Produção Cutural pela Faculdade de Comunicação/Facom da Universidade Federal da Bahia/UFBA e em Administração com hab. em Marketing pela Fundação Visconde de Cairu/FVC. É especialista em Gestão Cultural pelo Itaú Cultural e tem MBA em Comunicação Corporativa pela Universidade Salvador/UNIFACS. É Mestre em Cultura e Sociedade pelo Programa Multidisciplinar de Pos-graduação em Cultura e Sociedade/PosCultura da UFBA, e doutoranda pelo mesmo programa. Atuou como gestora pública na Fundação Cultural do Estado da Bahia/FUNCEB e na Secretaria de Cultura do Estado da Bahia/Secultba, especificamente na gestão dos equipamentos culturais desses órgãos. Atualmente é produtora cultural da Escola de Dança da FUNCEB. Como pesquisadora seus temas de interesse são a produção cultural, gestão pública de cultura e gestão de espaços culturais.

  • png-clipart-university-of-campinas-scien
  • Instagram
Roberto Junior  (2).png

Roberto Júnioré Bacharel em Artes com ênfase em Cinema e Audiovisual pelo Instituto de Humanidades, Artes e Ciências Professor Milton Santos/IHAC da Universidade Federal da Bahia/UFBA e é graduando em Comunicação com hab. em Produção Cultural pela Faculdade de Comunicada/Facom da UFBA. Estagiou na Superintendência de Promoção Cultural/SUPROCULT da Secretaria de Cultura do Estado da Bahia/Secultba e no Teatro SESC Casa do Comércio/SESC-BA. Tem experiência em produção de eventos culturais voltados para a comunidade LGBTQIA+. Atualmente pesquisa a gestão e a cena cultural LGBT de Salvador.

  • png-clipart-university-of-campinas-scien
  • Instagram
Sté (1).png

Stéfane Souto é pesquisadora afrodiaspórica e profissional da cultura. Graduada em Produção Cultural pela Faculdade de Comunicação/Facom da Universidade Federal da Bahia/UFBA e mestranda no Programa Multidisciplinar de Pós-graduação em Cultura e Sociedade/PosCultura da UFBA, é também especialista em Gestão Cultural Contemporânea pelo Itaú Cultural. Tem experiência na gestão de espaços culturais, com expertise nas áreas de produção executiva e gestão financeira de projetos culturais. Se dedica a desenvolver a dissertação “Aquilombamento: um referencial negro para uma gestão cultural engajada”, pensando a prática da gestão através de uma perspectiva contemporânea e ativando tecnologias ancestrais no desenvolvimento de projetos que a experiência de corpos dissidentes fale em primeira pessoa. Através da Denda Coletiva, atua nas áreas de produção e gestão cultural independente.

  • png-clipart-university-of-campinas-scien
  • Instagram
vitor (1).png

Vitor Barreto é produtor e gestor cultural. Graduado em administração de empresas pela Universidade Ruy Barbosa/ UniRuy. É mestrando pelo Programa Multidisciplinar de Pós-graduação Cultura e Sociedade/PosCultura da Universidade Federal da Bahia/UFBA. Entre 2008 e 2014 foi servidor público, tendo atuado na Fundação Cultural do Estado da Bahia/FUNCEB e na Secretaria de Cultura do Estado da Bahia/Secultba. Desde 2015 compõe o grupo Vila Vox de teatro e é co-gestor da Casa Preta, espaço cultural independente de Salvador. Produziu espetáculos teatrais como Medéia Negra e Teatro Infantaria, além de realizar oficinas de jardinagem comunitária e o Arraiá da Areal, em parceria com os demais integrantes da Casa Preta e moradores do bairro Dois de Julho, em Salvador. Tem interesse em discussões sobre a participação da cultura em ações de integração comunitária.

  • png-clipart-university-of-campinas-scien
  • Instagram